Tour Pisa e Florença

Pisa:

Esta localizada em uma altitude de 4 metros acima do nível do mar tem uma superfície de 187,1 Km. Essa magnífica cidade encontra-se a uma décima de Km do mar, sobre a Riva de Arno. È hoje um centro industrial e na sua provìncia è lembrado Larderello famosa " per i soffioni boraciferi " ( que são emissões de vapores de água de alta pressão e temperatura ) e Volterra é um sítio arqueológico e do trabalho em alabastro e outras atrações turísticas. Situada na planície que chegam a Arno, distante cerca de 13 km do mar. Seu período de Maximo esplendor do séc. XI AL XIII. As contínuas lutas internas, Portanto em 1405 a submissão da parte de firenze. Foi somente em 500 a cidade goza de um novo período de verdadeiro bem estar, graças também aos grandes duques da Toscana: nesse período Galileu Gallilei da inicio aas suas famosas pesquisas científicas. Importante centro cultural é no passado, é no presente, com a universidade fundada em 1343 a famosa escola Normal Superior. Depois a adesão ao reino da Itália e a construção da ferrovia na cidade teve um notável incremento urbanístico, incremento reforçado pelo nascimento de novas indústrias e do reforça mento do prestigioso Centro universitário.

Florença:

A cidade tem cerca de 375.000 habitantes e a sua feliz posição geográfica, ao centro de um amplo vale circundado por montanhas, fazem dela uma das mais belas cidades italiana. A cidade é atravessada por Arno e a presença do rio e da sempre fortemente condicionada à vida dos Fiorentino. Um evento trágico ligado a Arno, que envolveu e mobilizou a Itália inteira, é a enchente do outono de 1996. Em 4 de novembro daquele ano o rio Tracimò devastou grande parte do centro da cidade, fazendo 35 vítimas e destruindo um grande patrimônio cultural e literário. O trágico acidente mobilizou uma eficiente e exemplar máquina de solidariedade a nível nacional e internacional que ainda hoje deixa maravilhada. No passado a cidade tem influenciado de maneira importante o curso da cultura italiana e o humanismo e o Renascimento esses é somente dois exemplos de como Firenze tem contribuído para o desenvolvimento artístico, lingüístico, cultural e político de uma Itália em fase de construção identidaria. Uma das figuras mais dotava no panorama literário mundial é Dante Alighieri, na época do alto medieval a cidade foi uma comunidade livre e no curso do século XIII toda área da cidade, não somente foi incomodada pelas amargas lutas entre quelfi e ghibellini. Firenze experiente durante o Renascimento do governo de Médici, aristocrática família Fiorentina que deteve um notável impulso a identidade citadina e o desenvolvimento da arte. Uma figura entre todas aquelas de Lorenzo de’ Médici o Magnífico (1449-1492). Na época recente Firenze tem vestido o papel de capital da Itália em 1865, antes de ceder definitivamente o título a Roma. Hoje a cidade é visitada por turistas proveniente de toda parte do mundo, graças a sua beleza artística hospedada em valioso edifício histórico, como a galeria de Ofício e Palácio Pitti.

 

O Tour terá o seguinte programa:

 

1) Piazza dei Miracoli ( Praça dos Milagres) :

A Praça da Duomo de Pisa é universalmente conhecida com o nome de Praça dos Milagres. Nela podem-se admirar os monumentos que formam o centro da vida religiosa da cidade, definido por Gabriele d’ Annuzio, por sua beleza e originalidade, milagre: a Catedral, o Batistério, o Campo Santo Monumental e a Torre pendente. Em 1987 a Praça é inclusa na UNESCO entre o sitio reconhecido como patrimônio da humanidade. A praça, reservada aos pedestres e recoberta de um grande gramado, assume um aspecto definitivo somente no século XIX, sobre tudo a obra do arquiteto Alessandro Gherasdesca, que interesou-se pelo restauro dos celebres monumentos. A torre, o campanário pendente mais famoso do mundo, deve a sua inclinação ao solo de lama arenoso na qual as fundações de apoio profundas apenas três metros. Em seguida o trabalho de consolidação, efetuado nos anos 90 do século passado, a encosta é reduzida a cerca de 40 cm e o monumento é reaberto ao público, embora com modalidade de acesso mais limitada com relação ao passado.

2) Piazza dei Cavalieri ( Praça dos Cavaleiros ):

Dita em idade comunal, Praça das sete vias, corresponde ao antigo foro da praça romana, essa era o centro político da Pisa Republicana e foi depois transformada por Cosimo de Médici na sede da nova ordem militar dos cavaleiros de Santo Stefano para remover a cidade também do sinal visível da passada independência. O aspecto atual é, portanto fruto de uma radical reestruturação dos palácios que enfrentam atuadas em grande parte sobre o projeto do arquiteto Fiorentino Giorgio Vasari a partir de 1562. Ao centro da praça encontra a estátua de Cosimo como de grande maestro da ordem dos cavaleiros e seguidos de Pietro Francavilla em 1596 e uma fonte do mesmo autor. Particular da estátua de Cosimo e do Palácio do Relógio. Atrás desse surge o Palácio da Caravana dos cavaleiros. Esse é o antigo Palácio dos idosos da população da Pisa Republicana, transformado por Giorgio Vasari na forma atual e completamente recoberto na fachada grafite da mesma época similar, por técnica e por assuntos, aqueles que decoram alguns palácios de contíguas ruas de Mille e Ulisse Dini. O Palácio é sede atualmente da escola normal superior, prestigiosa instituição universitária fundada por Napoleone sob o modelo da escola superior de Paris. Essa entre outras, estudaram o poeta Giosuè Carducci e o físico Enrico Fermi. A esquerda encontra-se a Palácio do Relógio, construído como enfermaria dos cavaleiros da ordem de Santo Stefano juntando-se com um viaduto duas torres em ruínas da família de Conti e da Gherrdesca. Em um deles seria deixado para morrer por fome em 1288 o Conte Ugolino e outro homem da família suspeita de traição como recorda também Dante Alighieri no canto XXXIII do inferno.

 

3) Chiesa Santa Maria della Spina ( Igreja Santa Maria da Spina ):

A pequena igreja de Santa Maria da Spina em Pisa é um exemplo extraordinário do gótico Pisano. O edifício foi construído em 1230 sob as margens de Arno em correspondência a Ponte Nova, importante ligação que unia as vias Santa Maria e Santo Antonio. A ponte nova foi destruída no decorrer do século XV, e não foi mais reconstruída. Própria vizinhança a ponte tem específico apelativo de “ Santa Maria da Ponte Nova”mudado depois para Santa Maria da Spina, quando a partir de (1333), a igreja divenne cutode de uma relíquia da paixão de cristo:uma das spina da coroa do Senhor Jesus. Essa relíquia agora visível, presa a Igreja de Santa Clara em Pisa. O edifício da origem a um pequeno oratório, formado de somente uma loja, foi ampliado em 1322. Sob o interesse da comuni de Pisa, iniciou a construção dessa igreja, que hoje podemos admirar. O trabalho de ampliação projetado pelo arquiteto e escultor pisano, Lupo dei Francesco, concluiu-se cerca de cinqüenta anos depois. A igreja tem sempre sofrido de uma constante minaccia, do ponto de vista statico, a vizinhança do rio que tem constituído pela estabilidade do edifício, um grave risco e perigo. Numerosos documentos atestam que no final de 400 o edifício, havia subitamente repetutti,restaura a tese de sanar os danos do sedimento do terreno e reforçar a estrutura existente. Dos sinais mais radicais de interventos, é aquele 1871, quando o edifício foi inteiramente recomposto, e reedificado a uma cota acima. É assim que a igreja foi erguida, cerca de um metro. Por isso, muitas esculturas foram removidas e substituídas por cópias. A sacristia foi demolida,deixando a nós esse hoje,um edifício mudado no equilíbrio harmônico e na forma.A igreja é constituída de uma planta retangular.Externamente o edifício apresenta-se completamente revestido de mármore dois tons. As particularidades mais evidentes no presente templo são elegantes cúspides timbales e tabernáculos (que á caracterizam), uma requintada decoração escultora com tarsie, rosetas e numerosas estátuas. Por ora, todas essas decorações plásticas são hoje constituídas de cópias, as originais, estão no Museu Nacional de San Matteo.Os originais,ao invés, foram realizados pelos maiores escultores de 300 Pisano.A decoração do edifício foi realizada pelos distintos maestros de 300, entre os quais Lupo de Francesco, um dos mais originais seguidores de Giovani Pisano que trabalhou entre 1299 e 1336. Lupo di Francesco foi arquiteto, construtor e decorador da instituição da igreja de Santa Maria della Spina, amplia mento do precedente oratório, dirigia uma atividade de loja grandiosa e muita atividade em Pisano, na qual encontravam, no entanto os três filhos: " Cecco, Asinello e Ghiero “. O segundo decorado foi Andrea Pisano, sucessor de Lupo Francesco, assistido dos filhos Nino e Tommaso, ao invés não é certa, o momento, da direta participação dos trabalhos do edifício do grande Giovanni Pisano, na qual deve-se o renova mento da escultura gótica italiana, e de seu seguidor Giovanni Balduccio, por comparar entre as decorações, eles dois, importantes escultores.

4) Piazza Michelangelo ( Praça Michelangelo ):

Felizardo projeto, para simplicidade das linhas, nobreza dos elementos arquitetônicos e feliz ambientação de Simone Del Pollaiolo, dito “ O cronaca ”, esse edifício sacro satisfeito particularmente a Michelangelo, que o defini” a bela Villanela. A praça Michelangelo é uma realização do arquiteto Giuseppe Poggi do ano 1865-1870, que o idealizou como fulcro das avenidas de Oltrarno, aqual, com atenta sensibilidade ambiental, desenvolve-se entre a porta S. Niccolò. Ao centro da praça, o monumento a Michelangelo é ornamentado com reprodução em bronze de algumas de suas obras-prima Fiorentini, o célebre David em as estátuas sobre os túmulos Médici, na sacristia nova de San Lorenzo. Ao entorno, a vista faixas da cidade e sobre a colina formando uma visão de rara beleza. Da praça, atravessa a monumental rampa da escada, desce a medieval porta San Niccolò, caracterizada da alta e poderosa torre.

 

5) Chiesa di Santa Croce ( Igreja de santa cruz ):

Santa Cruz é uma das mais antigas basílicas franciscana, por sua dimensão, uma das mais grandiosas. Próximo a igreja surge o complexo conventual com seus dois claustros, o noviciado, a sala capitular, mais conhecida como capela loco, e o refeitório, hoje destinado a sede do museu, que abriga obras distintas proveniente da igreja e dos claustros. Fundada em 1294, sob o projeto do grande arquiteto Arnolfo di Cambio, a basílica viveu sete séculos de história incrementando o seu patrimônio artístico graças à contribuição de excelência, tanto a tornar-se um dos lugares mais visitados e amados de Firenze. Tudo La é representado ao máximo nível:os afrescos,na qual trabalhou Giotto, Maso di Banco, Taddeo Gaddi, Giovani da Milano, Agnolo gaddi; A travessa monumental e política, os belos vitrais de sec. XIV, e a estrutura arquitetônica renascentista, devido a Michelozzo e Brunelleschi;as inserções culturais quatrocentessìmas, obras dos maiores mestres Fiorentino, como Donatello,Antonio e Bernardo Rossellino, desejo da Settignano, Benedetto da Maiano. Mais tarde, na segunda metade do século XVI, Santa Cruz foi interessada a um programa arquitetônico e iconográfico inspirados nos princípios da contra-reforma, que viu o surgimento do grande altar com pinturas dos maiores artistas toscanos de todos os tempos. Mas foi com a realização da tumba de Michelangelo que a basílica confirmou a sua vocação de hospedar “A urna dos fortes” e tornou o Phanteon às glorias italianas. Também a Praça de Santa Cruz é o lugar de vida citadina, emblemática na história e no desenho urbanístico de Firenze, e tutora da sede de públicas manifestações de comemorações históricas, como o futebol no costume. No período de oitocentos, próximo ao sepulcro celebrado de Ugo Foscolo, encontramos posto na basílica, mas sobre tudo nos claustros enterros particulares, inspirados a uma romântica tarde perdido afeto. No Século XIX é realizada a fachada, elevado o campanelo e sistemado na praça o monumento a Dante Alighieri.

Info: Clique aqui!

6) Praça da Republica:

Esta praça tem uma forma etílica e esta obtida ampliando a praça do Mercado Velho, fundada no medievo sobre ruínas do Foro de uma cidade Romana, patrimônio de notável beleza, da qual ainda resta saudades. Das numerosa modificações adotadas no decorrer do século esse atuado no período entre 1885 e 1895 para renascer o assim chamado Velho Centro, tem representado um entre os maiores erros, em quando foi destruído o Mercado Velho. Na praça da República encontramos o monumento Vittorio Emanuele de Emilio Zocchi. Único testemunho depois do intervento do século XIX e a Coluna de Dovizia o da abundância ereta em 1431 de Donatello. Essa foi erreta no cruzamento de Cardo com o Decumano da cidade Romana e da sempre considerada umbigo da cidade. No lado setentrional do grande retângulo é presente um palácio em estilo neorenascimentalista realizado por Giuseppe Boccini e de 1893 é dese da Fundiária Asseguração . Sob o lado oposto encontramos o edifício construído por Torquato Del Lungo; No tempo passado aqui surgia o já citado monumento a Vittorio Emanuele II ( em1932 ) transferido depois na grande praça antes da entrada a Cascine), realizado em seguida a demolição da torre de Caposacchi e do Palácio degli Amieri. No lado oriental, o hotel savoy, realizado por Micheli Vincenzo, já progetado para ser um grande hotel, e o palácio de Triátlon, realizado por Luigi Buonamici. Ultimo intervento na Praça da Republica vem no ano cinqüenta com a colocação da coluna da abundância de uma copia da escultura alegórica (a Divizia) realizada por Foggini em 1721 para substituir uma obra de Donatello que era por agora deteriorada quase em modo irreparável.

 

7) O Batistério e a Catedral Santa Maria Del Fiore:

A igreja de Santa Maria Del Fiore ( mais conhecida como Duomo ) é um resultado de um projeto arquitetônico estudado por Arnolfo Di Cambio iniciado em 1296. A cupola da Duomo é obra de Brunelleschi, enquanto a fachada é terminada no tardio século XVII. A cúpula da Duomo de Firenze ( octogonal, 46 metros de diâmetro na base, 114,5 metro de altura ) foi construída sem o uso de suporte para apoiar o arco, mas usando uma técnica estudada escrupulosamente por Brunelleschi que lutou também como ceticismo dos cidadãos. Objetivo do projeto era aquele de facilitar a imponente estrutura e usar sofisticadas técnicas de matemática para a construção usando também maquinas inovadoras. Brunelleschi vence o concurso instituído no ano 1418 mas esta associado a um outro Ghiberti. Este não gosta de Brunelleschi que ameaçou de destruir o seu projeto, mas depois confiou a Ghiberti, cedendo o próprio Studio. Pouco tempo depois Ghiberti rende-se a sua própria incapacidade de compreender os escrito de Brunelleschi. Assim tudo tornou as mãos ao legítimo proprietário que parte com a construção:era ano de 1420.

Info: Clique aqui!

8) Piazza della Signoria e a Ponte Vecchio:

Situada no centro histórico, Piazza della Signoria é sempre o centro político e da vida civil de Firenze. Piazza della Signoria é acessível a pé em 10 minuto da estação ferroviária de Santa Maria Novella e é nexa ao escritório, Palazzo Vecchio e Ponte Vecchio. Depois de varias transformações e seguida da realização dos escritórios ( 1560-1580 ) a Piazza della Signoria assume seu atual aspecto;um grande impacto visual relacionado de varias esculturas e palácios. Ao Centro da Piazza é colocado o monumento eqüestre de Cosimo I ( obra em bronze de Giambologna de 1598 ) e a fonte da Piazza ou Fontana de Netuno de Bartolomeo Ammannati e Giambologna de 1575 erguida ao canto do Palácio Vecchio em ocasião da construção de um novo arqueduto. Na parte a esquerda do Palazzo Vecchio encontramos a figura representando o Marzocco ( uma cópia original de Donatello è guardada no museu de Bargello ), um leão heráldico com o brasão de Firenze.; durante a época republicana guardou de fato leões em cativeiros dentro do palácio. Movendo para a direita encontramos as cópias em bronze de Giuditta e Oloferne. O Davide de Michelangelo ( original esculpido por Michelangelo em 1504 é conservado na Galeria dell´accademia ) é o grupo marmóreo de Ercole e Caco di Baccio Bandinelli. Muitas esculturas são expostas na loggia della Signoria ( dita também Loggia de Lanzi ) construída em 1382, na parte a esquerda da praça, ao lado do Palazzo Vecchio. Entre as mais importantes esculturas presentes podemos recordar A virtude teológica e cardeais, A Fortaleza de Giovanni, A Temperança, A Justiça, A prudência, A fé e a caridade, mas seguramente a escultura mais importante e conhecida é o Perseo de Benvenuto Cellini que representa o místico eroe grego que mostra a testa de Medusa apenas saída. Sob a outra parte da praça, a direita do Palazzo Vecchio encontramos um arco que guarda o rato de Sabine. Um conjunto de esculturas de mármore realizado por Giambologna em 1853. Ponte Vecchio: Um dos símbolos de Firenze é seguramente Ponte Vecchio, a ponte mais antiga da cidade. A estrutura atual de volta a século trezentos, mas a primeira ponte ( aquela romano ) foi construída no sec. A.c. no ponto da qual l`Arno era mais estreito:aparece certo que sobre a Ponte Vecchio desenvolvia-se a colônia Romana de Florentia. No curso do século , Ponte Vecchio hospedou a primeira loja, dos Conciatori, depois aquele dos açougues e verduras. Entorno de 1495 as lojas foram ocupadas por ourives e joalheiros é assim ainda hoje. Ao centro da ponte se abre em sugestivo Panorama sob Arno,em ambos os lados do arco.Sobre a ponte o corredor Vasariano que liga Palazzo Pitti a Galeria degli Uffizi. Fosse por pura sorte, Ponte Vecchio é única ponte de Firenze que tem sido salvo por alemães na sua retirada em 1944.

 

9) Museu degli Uffizi:

A galeria degli Uffizi de Firenze é um dos museus mais famoso do mundo. Graças a sua extraordinária coleção de pinturas e de estatuas antigas é a principal atração turística de Firenze. O Uffizi hospedam um grande patrimônio artístico, que compreende milhares de quadros da época medieval e moderna, um grande número de esculturas antigas,de miniaturas. A sua coleta de pinturas de Trezentos e do Renascimento contém algumas obras primas absolutas da arte de todo o tempo. Entre os artistas que contribuem com obras e impressões a Galeria Degli Uffizi, podemos recordar Giotto, Simone Martini,Beato Angelico, Pierro della Francesca, Botticelli, Filippo Lippi, Mantegna, Corregio, Rafaello, Michelangelo, Leonardo, Caravaggio, no interior encontramos também obras de artistas alemães, Olandesi e Fiamminghi. Entre estes: Dorer, Rembrandt, Rubens. A galeria degli Uffizi é situada no ultimo andar do grande edifício, construído entre a metade do século XVI, sob o projeto de Giorgio Vasari. No princípio o palazzo era destinado a acolher o escritório administrativo e judiciário(uffizi) do estado Fiorentino.Foi realizada por vontade de Granduca Francesco I e enriquecida graças ao contributo da família Médici, sucessivamente a Galeria degli Uffizi foi reordenada e ampliada sob a dinastia de Lorena, sucessivo a Médici, e em seguida o estado italiano. Deve-se ao mesmo Vassari a construção de uma galeria aérea, que passando sobre Ponte Vecchio a igreja de Santa Felicita, conecta a galeria degli Uffizi com nova residência medicea do Palazzo Pitti e termina no jardim de Boboli, O corredor Vasariano é um corredor suspenso, realizado em 1565 de Vassari e conecta edifício degli Uffizi com Palazzo Vecchio e com Palazzo Pitti. No corredor Vasariano, estão expostos importantes coletas de pinturas de Seicentos. São também importantes coletas: a coleção Contini Bonacossi e gravuras e desenhos do Uffizi.

Info: Clique aqui!

* Este tour tem duração de cerca de 8 horas, sendo ideal para cruzeiristas que chegam ao porto de Livorno ( com retiradas e partidas do porto de Livorno diretamente da saída do navio ), ou de outro lugar a combinar, com partida ás 8:30-9:00horas e retorno ás 17:00-17:30 horas.

O tour terá o seguinte programa:

1) Os clientes são tomados diretamente na saída do navio ( esse tendo o serviço disponibilizado pela empresa portuária ), ou no lugar pré-estabelecido.

Pisa:

2) Piazza dei Miracoli.

3) Piazza dei Cavalieri.

4) Igreja Santa Maria della Spina.

Firenze:

5) Piazza Michelangelo.

6) Igreja di Santa Croce.

7) Piazza della Repubblica.

8) O Battistero e lA Catedral Santa Maria del Fiore.

9) Piazza della Signoria e a Ponte Vecchio

10) Museo degli Uffizi.

 

Da porta de Livorno:

1-4 pessoas = 400 €
5-8 pessoas = 480

 

Da porta de La Spezia:

1-3 pessoas = 480
4-8 pessoas = 520